Páginas

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Micropoemas IV

 
Madrugada

Meus filhos dormem, as horas correm
Vejo outro dia
Daqui a pouco? É “Mãe!” pra cá e  “Mãe!” pra lá
Pura alegria. 

 
Despedida

Eu nao queria mas devo ir
Daqui a pouco devo seguir
O meu destino de sonhador
Levo comigo teu riso, em flor






Morfeu

Se ainda hoje chegares
E por ventura encontrares
O que, de mim, se perdeu
Dá-me o abrigo
Rende-me e fico
Nos braços teus



Recado a
Alphonsus de Guimarães

Quando Ismália enlouqueceu
E foi pra torre, a sonhar
Eu só tinha sete anos
Eu não podia ajudar


O poetinha


Vício
Que víciozinho
Vou escrever só mais um
Só mais um
Pequenininho




Conforme a música

Cansa quem não me cansa
Se sorri foi por saber
Dançar



Céu

Voou... Voou tão alto 

Que não conseguiu voltar
Perdeu-se de si, cansou de seguir
Caiu moribundo
No afã de chegar

Nenhum comentário:

Postar um comentário