Páginas

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Cordel da despedida


Sinto muito já vou indo
Vou sem choro ou nostalgia
No meu canto de poeta
Eu sigo a canção do dia
Vou deixando o meu abraço
(Agradecida a presença)
Vou partindo sem demora
Vou na cantiga e na crença
Que a vida é feita de graça
E é um grande véu de alegria
E eu cantador do povo
Sou sopro na poesia

Um comentário:

  1. eu já disse um dia:
    "Bendito é o sopro, hálito
    que em terra dos ventos
    faz boa açao"
    mas pra voce reescrevi
    assim:

    semear poesia
    aos ventos e ouvidos
    alegria e esperança
    criando novos sentidos
    desejo-te bem-aventurança
    pro rio de tua alma poeta
    seguir alimentando esse catavento
    na chuva de pensamentos
    que do céu caem torrenciais
    aos que descobriram seus mananciais.
    bjs
    Aléxia

    ResponderExcluir